quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Mais que palavras...

Gente, até que ponto pode chegar a falta de amor e compaixão de um ser humano?
Como meu coração se entristece ao ver pessoas literalmente morrendo enquanto outras passam de um lado para o outro e sequer olham aonde estão pisando!


Há exatos 20 dias, eu e meu irmão chegávamos em casa para almoçar. Ao sair do carro, tamanha foi a nossa surpresa ao ver um homem caído do outro lado da calçada. Afinal de contas, cenas assim na nossa rua são raras, para não dizer inexistentes até então!


Antes de irmos até esse homem, tive a infelicidade de ver algumas pessoas que passavam pela rua (andando!) e nada faziam! Então, meu irmão foi até ele e, junto com algumas crianças que brincavam de soltar pipa, o levantou do chão, levou para uma sombra e o sentou. 

PASMEM!!! Esse senhor nos falou que estava ali, naquelas condições (caído e no sol) por DUAS HORAS E MEIA!!! 

Não quis acreditar que o que ele estava dizendo era verdade. Mas pessoas que trabalhavam nas imediações confirmaram! Além do que toda a sua camisa estava ensopada de suor. Jesus, como meu coração se compadeceu daquele homem... 


Aparentemente não havia ingerido bebida alcoólica nenhuma (e mesmo se tivesse bebido, o fato é a situação em que ele se encontrava), mas demonstrava ter sido vítima de um AVE/AVC há algum tempo (pelos sinais apresentados) e afirmou ter caído naquela calçada devido a uma crise de convulsão.


Não pensei duas vezes: perguntei se ele havia almoçado; providenciei almoço pra ele; dei-lhe água. Aquele senhor comeu toda aquela comida, bebeu alguns copos de água. Enquanto ele comia, eu conversava com ele. Meu irmão já havia entrado em casa, mas eu fiquei lá fora e sabia que precisa falar do amor de Deus para aquele homem. E falei! Falei da nossa condição de pecador e da maior prova de amor demonstrada por Jesus na Cruz. Eu sei que fui impelida pelo Espírito Santo naquele momento. Sei também que é Ele (o Espírito Santo) quem convence o homem do pecado, da justiça e do juízo. Então, apenas fiz minha parte: a semente do Evangelho da Cruz foi plantada! 

Talvez eu nunca mais veja aquele homem...
Mas meu coração se alegra por não ter deixado passar a oportunidade de apresentar Jesus a ele!

Depois disso tudo, fiquei dias pensando sobre o ocorrido. Refletindo constantemente...


Quem é o nosso próximo? Aquele quem nós conhecemos? Nosso vizinho? Nosso amigo? Nossos familiares? APENAS??!! 
Meu próximo foi esse homem que nem conheço! 

"Quem não ama seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê! (I João 4:20b)


Deus, eu sei que o Senhor me criou para o louvor da Sua glória! Isso vai muito além de domingos dentro de um templo; de organizações de eventos gospel; de planejamentos e mais planejamentos que não saem do papel...

Somos a Tua Igreja, Pai! 
Eis-nos aqui!