quinta-feira, 29 de maio de 2014

Sou mesmo uma flor?

Sou mesmo uma flor?
Uma flor necessita de cuidado, atenção, zelo, proteção e carinho do seu jardineiro. Ela precisa ser acompanhada, nutrida e regada todos os dias. Alguém precisa vê-la crescendo, se desenvolvendo e tornando-se cada vez mais linda. Se esse alguém for aquele que a tiver cultivado, então, cada mínima mudança, cada melhora, cada avanço da florzinha fará o coração dele saltitar de alegria e o motivará a continuar cuidando, zelando, nutrindo, regando...
E esta será a maneira pela qual a linda flor alegrará o coração do seu jardineiro: ao crescer bela e exalando um bom perfume. 
Ela será reflexo de toda a dedicação dele...
Ele corresponderá a toda a delicadeza dela...
Não é uma troca de interesses. O único interesse do jardineiro é ver sua bela flor cuidada e protegida. E o que importa para ela é retribuir com toda a suavidade de uma flor...


Eu ainda continuo sendo uma flor?
Então, eu necessito ser cuidada, regada, nutrida e protegida...
Preciso que alguém olhe para mim e decida cultivar-me...
Que alguém esteja disposto a, pacientemente, me ver crescer, desenvolver e amadurecer. O tempo será nosso amigo. Ele desenvolverá em nós a afinidade, o respeito e o zelo... 
Serei a flor mais linda do jardim, disso não tenho dúvida! Mas não porque, sozinha, conseguirei chegar a tal nível, mas porque serei cuidada por alguém que olhou para uma florzinha e escolheu fazer dela a sua companheira de jornada...

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Excelentes para a Glória de Deus!

Gente, eu estava refletindo agora: “O que é fazer algo com excelência?” Fui atrás da definição da palavra excelência (por mais que a gente saiba o que é, geralmente sentimos dificuldade em conceituar). Excelência é a característica do que é excelente; que possui um teor mais elevado. E o que é excelente? É uma característica ou particularidade daquilo que é excessivamente bom. Certo. De posse dos significados das palavras, a reflexão foi ganhando corpo: “Será que estamos sendo excelentes na nossa vida/conduta cristã?” No que isso implica? É simples, comecemos pelo nosso dia a dia, pela nossa rotina e as perguntas já surgem, naturalmente: Temos buscado excelência como filhos(as), como profissionais, como alunos, como irmão(ã), como membro na nossa igreja local, como neto(a), sobrinho(a), primo(a), como pai, como mãe, avô, avó, tio, tia, esposo(a)... e por aí vai... Sempre me questiono por que temos agido de maneira impecável apenas no que diz respeito à nossa vida “secular”? (não creio que para o cristão genuíno exista essa dicotomia entre vida espiritual e secular. Podemos conversar sobre isso em outro post. J). Não faltamos ao emprego praticamente nenhum dia, cumprimos com todas as obrigações, somos pontuais! Isso é excelente! MAS, será que essa mesma excelência também é trazida para as necessidades do Reino de Deus, para dentro da nossa casa, para dentro dos nossos relacionamentos? É algo a se pensar, não é mesmo? O nosso bom testemunho não deve ser parcial, mas total! Se cumprimos com o horário no nosso emprego, por que não fazemos o mesmo na sala de aula do Seminário ou na Escola Bíblica das nossas igrejas ou no grupo de estudo bíblico ou nas reuniões de oração ou nos cultos dominicais? Por acaso, esses outros são menos importantes? Não! Eles não são menos importantes. A questão está na real motivação do nosso coração e no que consideramos ser nossa prioridade. Se, verdadeiramente, a fonte do nosso prazer e satisfação estiver no Senhor e se Ele for o motivo da nossa alegria, então, consequentemente, seremos excelentes filhos, profissionais, pais, mães, esposas, maridos, etc. Pois, seja o que for que estivermos fazendo, estaremos fazendo para a GLÓRIA DE DEUS (I Coríntios 10:31). E sabe qual o segredo para fazermos tudo com excelência? Está escrito em Colossenses 3:23-24:

“Tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como para o Senhor e não para homens, cientes de que recebereis do Senhor a recompensa da herança. A Cristo, o Senhor, é que estais servindo”.

sábado, 17 de maio de 2014

Um desejo mais profundo

Há alguns dias li algo a respeito de COMO devemos fazer para vencer desejos pecaminosos (em uma das atualizações do Voltemos ao Evangelho que chegam ao meu e-mail, diariamente). Foi um vídeo curto, de menos de 2 minutos, mas que me fez refletir bastante. Comecei a pensar que, enquanto estivermos em corpo corruptível, seremos tentados de diversas maneiras e, não custa nada lembrar: tentados principalmente naquilo em que nossa carne é mais tendenciosa a vacilar. E quando falo em carne não me refiro apenas à tentação sexual. Podemos ser tentados a subornar alguém; a nos apropriar de algo que não é nosso (por mais insignificante que possa parecer); a lançar uma “mentirinha de nada”; a fazer o famoso “caixa dois” na empresa; a adulterar (lembre-se “qualquer que olhar para uma mulher para desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração”, conforme Mateus 5:28); a fofocar (isso mesmo! Fofoca também é sinônimo de falso testemunho! E a Bíblia condena tal atitude, conforme Deuteronômio 5:20); e tantas outras coisas possíveis em nosso cotidiano.

Pensem comigo: se somos tentados naquilo em que nossa carne é mais fraca, quais as chances de cairmos? Inúmeras! E como devemos proceder, diante de situações como essa? No vídeo, Bob Glenn fala que o único jeito de um cristão vencer os desejos pecaminosos é substituindo-o por um desejo mais profundo! Isso mesmo! Aquela vontade pecaminosa será forçada a ir embora quando nutrimos um desejo maior por Deus, um desejo maior por Jesus! Sigamos o exemplo bíblico de Moisés:

“Pela fé Moisés, já adulto, recusou ser chamado filho da filha do faraó, preferindo ser maltratado com o povo de Deus a desfrutar os prazeres do pecado durante algum tempo. Por amor de Cristo, considerou a desonra uma riqueza maior do que os tesouros do Egito, porque contemplava a sua recompensa”. (Hebreus 11:24-26).


Quando contemplamos JESUS, o pecado não parece tão desejável.

domingo, 11 de maio de 2014

Relatando...

Realmente foram momentos inesquecíveis... emocionantes... especiais... únicos e cativantes... Um tempo curto que deixou saudade extensa...

A princípio, eu não iria. Era uma viagem em que eu não me achava pronta para encarar. "É muito longe", pensávamos eu e meu orgulho. Os dias foram se aproximando e a dúvida aumentando se deveria ou não ir para aquele avanço missionário. Decidi! "Eu vou!" O dia chegou. Um dia "daqueles" no seminário: organizando os últimos detalhes, recebendo pagamento de inscrições, ajustando algumas duplas para o evangelismo do dia seguinte, preparando a lista de chamada. Até que, finalmente, subi no ônibus, me acomodei e descansei...

Sim, realmente era uma viagem longa. Saímos às 22h de uma sexta-feira e chegamos às 05:30h do sábado. Graças a Deus o Senhor nos fez chegar em paz e segurança. Entramos na escola, nos alojamos nas salas, tomamos um café da manhã preparado pelas irmãs da igreja local que tão prontamente nos receberam e nos deram todo apoio e carinho. Aos pouquinhos, fomos nos familiarizando com tudo ali. Chegou o momento em que as duplas de evangelismo saíram para a zona rural. Dois irmãos ficaram na escola a fim de interceder diante de Deus por todos que saíram para propagar o Evangelho de Cristo. Eu me juntei àqueles irmãos e oramos juntos, lemos a Bíblia, cantamos hinos de exaltação a Jesus. Enquanto estávamos ali, críamos que Deus estava capacitando cada dupla que estava espalhada pelos vilarejos anunciando as boas novas da salvação. A manhã passou, a tarde chegou e almoçamos. Estava se aproximando um dos momentos mais significantes para mim: a evangelização das crianças! (Lembro-me de quando estava em casa, dias antes da viagem, preparando as sacolinhas e as pulseirinhas para elas. Meu coração saltitava só de imaginá-las, todas juntas, cantando e ouvindo falar de Jesus. *-*). E fomos para Belem (vilarejo que dista 12 km da cidade de Tavares). Estradas de barro, algumas subidas e descidas íngremes, curvas, barrancos, de fato não era um percurso fácil. Mas nada disso foi levado em consideração quando contemplamos a beleza daquele lugar! "Meu Deus, isso é mesmo um sertão?" Uau! Estava vendo uma paisagem linda, completamente verde, farta de água, montanhas e de clima muito agradável! (o registro não me deixa mentir). Deus realmente se revela por meio das coisas criadas! (Salmo 19). Bom, chegamos a Belem. Pasmem! Uma cena que jamais sairá da minha memória: as crianças estavam todas trocadinhas de roupa, sentadas nas calçadas das suas casas nos esperando. Que coisa linda! Todas subiram a rua em direção à escola municipal. E lá se reuniram 70 pequeninos para a glória de Deus, além dos seus pais e responsáveis. Eles aprenderam e cantaram conosco músicas sobre o amor e a bondade de Deus. Eles sentaram e, atentamente, aprenderam sobre Deus e sua criação, sobre o pecado, sobre Jesus Cristo e sobre a importância da oração e da leitura bíblica.

Aquela tarde logo findou. Eu estava maravilhada por ter sido presenteada pelo Senhor com o privilégio de vivenciar tudo aquilo. Voltamos todos vibrantes! Já estava escuro e não parávamos de cantar em cima do carro que nos transportava. Até que, em uma daquelas difíceis subidas, o pneu baixou. Paramos, descemos todos. Não bastava o pneu ter baixado, ele rasgou, à noite e numa subida de barro! Que desafio! Mas aí também vimos o cuidado de Deus. E quarenta minutos depois, estávamos retomando nosso trajeto de volta para a nossa base, em Tavares.

Já era noite quando nos reunimos, após o jantar, no pátio da escola e fizemos uma devocional. Oramos todos juntos, oramos uns pelos outros, exaltamos o Senhor através dos louvores cantados, fomos edificados com os testemunhos compartilhados. Foi um momento lindo e especial. E chegou a hora de dormir. A começar de mim, penso que todos estavam muito cansados fisicamente de uma viagem durante toda a madrugada acompanhada de um dia de trabalho intenso. Mas, ao mesmo tempo, não me resta dúvida de que nossos corações estavam renovados, alegres e vibrantes como crianças! O domingo chegou, as duplas novamente saíram para evangelizar, dessa vez na própria cidade de Tavares. E mais uma vez eu e a querida irmã Lourdes estávamos naquela salinha de oração. (Sabe... pude ver, na prática, o quão importante e necessário é a oração/intercessão. Enquanto oramos, Deus age. Enquanto oramos, Deus efetua Seu querer e Sua vontade que é sempre boa, perfeita e agradável).

O almoço estava próximo, quando todos estavam retornando à escola encorajados, animados e revigorados de espírito. Um grande grupo se juntou no pátio e começou a cantar. Foi um outro momento lindo de comunhão. Nesse momento, eu estava numa salinha e comigo estava uma moça de lá da cidade. Ela olhou pra mim e, com lágrimas nos olhos, me disse: "A gente agradece muito vocês terem vindo pra cá. É muito importante para nós porque nos renova o ânimo de continuar a caminhada, de ir e fazer Missões. Ver tanta gente assim que deixou seu conforto e segurança do final de semana para estar aqui é realmente muito lindo. Estávamos precisando viver isso aqui na cidade". Eu não precisava daquela declaração dela para sentir a alegria que já estava sentindo por tudo o que tínhamos vivenciado. Mas confesso a vocês que aquelas palavras me fizeram pensar no quanto Deus é perfeito em seus propósitos! Além de ter nos usado para anunciar o evangelho naquela região, também nos usou para trazer ânimo ao povo Dele daquela cidade. E, como uma via de mão dupla, renovou em mim também a certeza de que o Senhor sempre preserva um remanescente fiel! Não importa o lugar.

Então, o momento do retorno chegou. Da mesma forma como o Senhor nos levou, ele nos fez regressar: em paz e em segurança! Obrigada Deus, pois vejo sentido na vida quando vivencio momentos como esses. Existe um propósito para o qual fomos criados e esse propósito é o louvor da Sua Glória! É tornar Teu nome conhecido! É refletir Jesus Cristo!

Encerro esse relato com um versículo que me fala muito ao coração: "Como são belos nos montes os pés daqueles que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que trazem boas notícias, que proclamam salvação, que dizem a Sião: ‘O seu Deus reina!’” (Isaías 52:7)