quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Nossa retrospectiva 2016

E assim foi nosso 2016:

Os primeiros meses de 2016 vivemos fora do nosso país, em terras distantes, mergulhados em outras culturas. Convivemos com povos de diversas nacionalidades, aprendemos um pouquinho dos idiomas dos lugares que moramos, voltamos a ser estudantes, evangelizamos, viajamos, conhecemos alguns lugares fantásticos (Dublin, Belfast, Vaticano, Itália, etc), enfrentei meus medos e atravessei o oceano, passamos horas dentro de um avião, passamos também mais de 16 horas de conexões em aeroportos, passamos frio, tomamos alguns banhos de chuva num inverno de 5 graus, sobrevivemos ao inverno irlandês (para um nordestino isso é uma vitória!), vi fumaça sair pela minha boca de tanto frio que fazia, nos perdemos em nossas andanças, escalamos montanhas, vimos neve pela primeira vez, estivemos num Castelo medieval, andamos de metrô em Roma, vimos o papa Francisco, entramos na Basílica de São Pedro, conheci meus cunhados e sobrinho, sentimos saudades, nos despedimos e retornamos ao Brasil!  

Reencontramos nossos familiares, contamos as novidades da nossa viagem, revimos nossos irmãos da igreja, começamos a organizar nossa casa, criar nossa rotina, pagar contas mensais (pra quem não sabe, na Europa as contas de água, energia e gás não são mensais, algumas são bimestrais e outras trimestrais!), completamos nosso primeiro ano de casados, iniciamos uma rotina mais intensa de afazeres, fizemos check up de saúde, sentimos muita falta do frio, de andar agasalhadinhos, passamos a enxergar a Europa com outros olhos (como um celeiro missionário) e tantas outras coisas!

Em 2 dias, 2016 se findará e o que ficará serão as lembranças de um ano vivido intensamente. Um ano desafiador, que nos fez aprender que, com a graça de Deus, podemos ampliar nossos horizontes e desbravar um mundo além do nosso "metro quadrado". Mais do que isso, nos ensinou que o momento certo é aquele no qual estamos dispostos a encarar os possíveis desafios que serão impostos, dando o nosso melhor, sempre em conformidade com a vontade de Deus!

2017 vem aí! Que possamos vivê-lo intensamente, para a glória de Deus!

"Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão-somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do evangelho da graça de Deus". (Atos 20:24)

Feliz Ano Novo!



sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Colação de grau de Sam!

Quando conheci Sam ele ainda estava na universidade. Devido a muitos imprevistos ao longo da caminhada, ele ainda não havia concluído seu curso. Mas, aos poucos, fomos nos organizando e ele conseguiu entregar o pré-projeto do trabalho de conclusão de curso. No semestre seguinte, com a universidade em greve, nos casamos e viajamos! Quando retornamos, descobrimos que o prazo limite para ele ter concluído o curso (já considerando todos os trancamentos) tinha sido aquele período que havia passado! E agora?! Ele solicitou à Reitoria uma prorrogação de curso para que pudesse, ao menos, entregar seu TCC, que era a única coisa que faltava. Esperamos quase dois meses para saber se o pedido tinha sido deferido ou não. E graças ao bom Deus, foi deferido! Então, agora era correr contra o tempo, pois ele tinha apenas pouco mais de 2 meses para ir em busca de um orientador e concluir todo o trabalho. Foi matando um leão por dia que conseguimos ir avançando até o tão esperado dia da defesa do trabalho, dia 5 de Dezembro de 2016. E assim foi! Ele apresentou e foi aprovado! E aqui quero tornar pública minha gratidão ao Senhor por ter me permitido estar ao lado de Sam durante a conclusão de mais esta etapa. Agradecer também a minha sogra pelas orações, pois também sei o quanto para ela é uma alegria ver o filho concluindo de vez esta etapa! 

"Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios". (Salmos 103: 1-2)

E nada melhor do que uma boa foto para registrar este momento tão especial em nossas vidas!


quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Obediência, castigo, correção | Faça o que eu digo, não faça o que eu faço - parte 1

O autor inicia com a seguinte afirmação: "O fato de ensinar o Evangelho aos filhos de modo algum exime os pais da responsabilidade de educá-los para as questões não religiosas da vida".

Agregada a essa afirmação está a ideia de que não adianta ensinar a nossos filhos uma sabedoria profunda e depois levar uma vida que contradiz o que estamos ensinando. Assim foi Salomão, deu sábias instruções para seu filho, mas o seu exemplo anulou seus conselhos, pois sua vida era incoerente com seus ensinamentos. E não existe erro maior que um pai ou uma mãe possa cometer.

Precisamos lembrar que tanto a sabedoria prática quanto a espiritual estão intimamente ligadas, portanto, o foco adequado de toda a nossa instrução é sempre Cristo!

Então vamos lá ver 10 princípios presentes do Livro de Provérbios que nós como pais (e futuros pais) poderemos transmitir para os nossos filhos. Para que o post não fique muito longo, iniciarei com os 3 primeiros:

1) Ensine seus filhos a temerem o Deus deles: o temor ao Senhor não tem nada a ver com covardia ou medo, mas reverência e temor de desagradá-Lo! Somos apenas intermediários com a responsabilidade de ensinar nossos filhos a temerem a Deus. Se os nossos filhos crescerem temendo apenas desagradar a nós pais, mas não a Deus, o que eles farão quando não estivermos presentes? Poucas crianças hoje crescem com essa consciência...

2) Ensine seus filhos a protegerem suas mentes: monitorem o que eles veem e ouvem, principalmente nessa era da internet, não os deixe simplesmente soltos; não entregue o controle remoto da televisão e saia da sala. Não há problema em que eles tenham autonomia para escolherem o que querem ver, mas não deixe que eles façam essas escolhas totalmente livres de supervisão, pois somos nós que temos a responsabilidade de ajudá-los e direcioná-los para o que edifica e para longe do que não edifica. Lembrando que, por outro lado, o isolamento total também não é a solução, pois nenhum nível de isolamento poderá manter o coração de nossos filhos livre de qualquer tipo de contaminação. É preciso que os criemos para serem sábios e para terem discernimento. De nossos pensamentos vem nossa conduta. Por isso, nosso papel enquanto pais é de ajudar a programar a mente de nossos filhos com a verdade, bondade, fidelidade, honestidade, integridade, lealdade, amor e outras muitas virtudes.

3) Ensine seus filhos a obedecer aos pais: os pais precisam ensinar obediência aos filhos. Isso é uma das responsabilidades mais básicas e óbvias. Isso envolve disciplina e, quando necessário, castigo e correção. "Quem se nega a castigar seu filho não o ama; quem o ama não hesita em discipliná-lo"(Provérbios 13:24). É importante destacar que os pais que administram castigo por pura fúria ou irritação, e não por amor, não encontram apoio para esse tipo de atitude em qualquer parte da Bíblia. O autor chega a afirmar que rotular o mau comportamento crônico com um nome clínico e usar isso como uma desculpa para atitudes pecaminosas é um grave erro. Dificuldade no aprendizado não é um problema moram, propriamente dito. A desobediência, crueldade com outras crianças e o desrespeito pelos adultos, sim! Não importa quais sejam os motivos para a má conduta da criança, a rebelião e a desobediência são definitivamente uma doença moral - o pecado!

Continuamos os outros princípios no próximo post...
Até logo!

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

Primeiro Natal no Brasil depois de casados!

Nem parece que passamos o último Natal tão distante, do outro lado do oceano! Foi um Natal diferente, mas muito especial! Estávamos recém casados, num outro país, longe dos familiares, inseridos em outra cultura, longe na nossa igreja e dos amigos. Apesar disso tudo, foi uma experiência incrível vivenciar o "clima" natalino, associado a um clima temperado de 5 graus, às vezes 1 grau (como foi no final de ano) e até mesmo temperaturas negativas, durante as madrugadas.

Nesse nosso primeiro Natal, não tivemos a oportunidade de decorar nossa casa, nem montar nossa própria árvore. Mas pudemos ver lindas e imponentes árvores de Natal, pelas enormes e compridas janelas das casas, quando andávamos pelas ruas do bairro onde morávamos. Não só isso, mas descobrir que eram árvores naturais! Pinheiros de verdade! Que mágico!

Hoje, há oito meses de volta ao Brasil, tivemos a oportunidade de montar nossa primeira árvore e decorar nossa casa para o Natal. E que venham muitos e muitos Natais, com a graça de Deus e que sempre possamos comemorá-los em família, agradecendo a Deus por Jesus Cristo!

Confiram o resultado da montagem da nossa primeira árvore de Natal! Quem sabe a próxima não será um pinheiro de verdade?!! rsrsrs


segunda-feira, 28 de novembro de 2016

O que a vida e a morte do Dr Russell Shedd implicaram em minha vida?

Vejo que esse acontecimento está sendo repercutido de muitas formas por aí a fora. Mas aqui, por se tratar de um blog pessoal, quero expor o que implicou para mim a vida e a morte deste homem que foi o Dr Shedd.

Inicialmente, só o conhecia de ouvir falar, até os meus olhos o verem ao vivo e a cores. Fui começando a admirá-lo, pois fui percebendo que a humildade, o carisma, a mansidão, a sabedoria, a inteligência, a expectativa do céu eram características extremamente marcantes naquele homem.

O vi pregar em algumas Consciências Cristãs, tive a oportunidade de vê-lo ministrar um estudo das epístolas de Pedro em umas das igrejas aqui da cidade, de ouvir suas devocionais nos Congressos da JUVEP. Enfim, foram dezenas de oportunidades que, não só hoje, mas ao final de cada uma delas, agradecia a Deus o privilégio de aprender mais com aquele servo do Senhor.

Até que tive o privilégio de servi-lo, durante 4 dias! Lembro-me que foi uma semana na qual ele foi convidado pelo Seminário da JUVEP para dar aulas sobre o Novo Testamento. E na ocasião, pude conduzi-lo até sua sala de descanso, durante os intervalos, depois para a sala de aula novamente, por repetidas vezes, além de conversamos um pouco sobre a plantação de cana de açúcar que era possível ser vista da janela de sua sala de repouso. Enfim, eu estava tão grata a Deus por poder estar servindo de alguma forma àquele irmão que tanto tinha feito e estava fazendo para o Reino de Deus, não só no Brasil, mas no mundo!

Depois disto, há dois dias, na Colação de Grau dos formandos do Seminário da JUVEP, ouvi a dra. Bábara Burns (amiga do casal Shedd há 50 anos) confirmando todas as minhas percepções e impressões a respeito dele, desde a primeira vez que o vi e ouvi: humildade, generosidade, sabedoria, inteligência, etc.

E ontem, ao ouvir a pregação do meu pastor, no culto, resolvi escrever este post. Na verdade, o que me motivou de fato foi a pregação que ouvi ontem, mais do que o fato do nosso irmão Shedd ter descansado no Senhor.

A vida do dr. Russell Phillip Shedd me instigou a buscar aprender mais do Senhor Jesus e da sua palavra e a viver de modo digno do Evangelho. Mesmo nos últimos dias de sua vida, foi "capaz" de afirmar que estava sendo uma experiência muito boa, em que estava se desmamando do mundo e pronto pra subir. Coloquei capaz entre aspas, porque quem o capacitou foi o Espírito Santo, através de sua fé inabalável naquilo que é ETERNO! Ele citou 2 Coríntios 4:16-17"Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" e também 1 Pedro 4:13: "Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis".


A morte do Dr Shedd me fez refletir ainda mais sobre a segurança de crente em Cristo Jesus, na sua morte e ressurreição. Essa deve ser a nossa esperança! Porque "se esperamos em Cristo apenas nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens"! Dr Shedd, mesmo em vida e com saúde, desejava o céu. E mesmo no leito da enfermidade, continuava desejando o céu! 

Desejar o céu não significa desejar a morte, significa que, enquanto isso não acontece, continuaremos servindo ao Senhor com todo o nosso coração e com toda a nossa força!

"Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor". (I Co 15:58) 


sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Como apresentar o Evangelho aos meus filhos?

O Evangelho é simples e deve ser apresentado com simplicidade. Em que momento? Os pais têm os melhores anos da vida da criança para explicar, enfatizar, ensinar e reafirmar as verdades do Evangelho. O que os pais não podem fazer é acharem que outra pessoa pode apresentar melhor o evangelho e, assim, se esquivar dessa responsabilidade.

Os pais, mais do que ninguém é que deveriam ter todo o tempo do mundo para serem detalhistas, ouvir bem e sem pressa os filhos, corrigi-los quando necessário, ilustrar ensinamentos bíblicos, etc. Isso requer bastante tempo, criatividade, paciência. É um desafio diário. Após um tempo, a melhor alegria deve ser a criança demonstrando algum grau de real entendimento e compreensão do Evangelho. É nesse momento que nós, como pais, segundo o autor, não devemos anular expressões infantis de fé como se fossem insignificantes ou engraçadas. Pelo contrário, os pais devem encorajar todo sinal de fé em seus filhos, sem ridicularizá-los ou menosprezá-los e aproveitar todo oportunidade para ensiná-los mais.

Além de investir tempo (algo bastante difícil hoje em dia), devemos ensinar aos nossos filhos todo o conselho de Deus. Não existe uma menor parcela da verdade de Deus na qual uma pessoa pode crer e ainda assim chegar ao céu. São os pais, mais do que ninguém, que devem resistir a esse pensamento e ser fiéis, constantes e diligentes.

Ainda na mesma ideia, precisamos enfatizar as doutrinas fundamentais do Evangelho. Fazê-los entender que Deus é um Deus Santo; que o mau comportamento não é meramente uma ofensa contra a mãe e o pai, mas, antes do tudo é um pecado contra Deus; que Cristo é eternamente Deus, Senhor de todos, se fez homem, é completamente puro e sem pecado, se tornou sacrifício pelo nosso pecado, derramou seu próprio sangue, morreu na cruz para oferecer um caminho de salvação aos pecadores, ressuscitou triunfantemente dentre os mortos. É possível sim ensinar e explicar tudo isso para uma criança, pois, com a ajuda de Deus, podemos ser pais sábios.

Algo que achei interessante que o autor ressaltou foi que em muitas mentes evangélicas modernas, o ato de orar para convidar Jesus a entrar no coração se tornou praticamente um meio sacramentado de salvação. Se usarmos metáforas para esclarecer alguns aspectos do Evangelho, devemos nos certificar de distinguir com cuidado a metáfora da realidade. Quando, por exemplos, fazemos imagens de corações pecaminosos escuros ou sujos (pelo pecado), ou quando fazemos a criança pensar em Jesus batendo na porta do coração delas, elas tendem a fazer uma interpretação muito literal do que lhes é dito. Essas palavras em forma de imagens, se não forem cuidadosamente explicadas, podem realmente ser um impedimento, em vez de uma ajuda, à compreensão do Evangelho. Talvez muitos de vocês não concordem, mas se a criança sair pensando em termos literais que Jesus está de pé junto à porta do coração, esperando um convite para fixar residência nele, falhamos em tornar o Evangelho claro. Ao invés disso, enfatize o que a Bíblia requer dos pecadores: arrepender-se, desviar seu coração de tudo que desonra Deus, seguir Jesus e confiar nele como Senhor e Salvador.

Para que o texto não fique mais extenso, o autor conclui o capítulo dizendo que muitos pais poderão se sentir desqualificados, ainda mais quando sabem que o caráter e a conduta devem ser compatíveis com o que ensinam. Mas não há mistério, basta lermos Deuteronômio 6:6-7: "Que todas estas palavras que hoje lhe ordeno estejam em seu coração. Ensine-as com persistência a seus filhos. Converse sobre elas quando estiver sentado em casa, quando estiver andando pelo caminho, quando se deitar e quando se levantar".

A tarefa de ensinar é uma ocupação interminável, em tempo integral!

*****************
Se ainda não leu as postagens anteriores, aqui estão:
Parte 1 - Como vou criar meus filhos?
Parte 2 - Se eu for uma mãe negligente...
Parte 3 - Métodos infalíveis para criação de filhos!

*****************

sábado, 12 de novembro de 2016

Aniversário surpresa de novo!!!

Me pegaram de surpresa por dois anos consecutivos! Ano passado, eu estava tão voltada para os últimos preparativos da viagem, que nem desconfiei que estavam preparando uma festa surpresa e de despedida ao mesmo tempo. Dessa vez, quando abro a porta de casa, voltando de uma viagem, encontro meus irmãos, minha mãe e minhas cunhadas lá dentro (mas como, se fechamos a casa para viajar?!! kkkk). Por isso que não havia desconfiado de nada. Que susto levei quando abri a porta (dei até um grito hehehe), postarei tudo no meu canal do youtube em breve!

Vamos começar do começo: antes da nossa viagem de comemoração de 1 ano de casados, Sam preparou tudo e ainda deixou a cópia da chave do apartamento com minha mãe para que tudo pudesse ser organizado. Eu sempre falava pra ele que eu queria uma Nutella grande de presente (gosto pouco de Nutela) rsrs. Ele gravou isso e fez uma brincadeira super legal. Ele encheu a árvore de Natal de cartõezinhos e à medida que ele ia lendo eu tinha que adivinhar quem tinha escrito e a pessoa me dava um dos presentes que estavam em cima da mesa. "Coincidentemente", todos os presentes eram potes de Nutella! kkkkkkk (marido criativo! Amei!).

Foi tudo muito especial e não poderia deixar de registrar aqui esse momento em família. Agradeço a Deus por ter me permitido viver mais um ano, ao meu esposo por ter pensado em cada detalhe e, verdadeiramente, ter feito uma linda surpresa (até as cores das bolas ele escolheu e acertou em cheio), aos meus pais, irmãos e cunhadas (cúmplices, rsrs), aos cunhados, sobrinho e minha sogra (in Italy) pelo carinho e a todos que me parabenizaram de uma forma ou de outra.

Fiquem agora com um pouquinho do que foi essa festinha surpresa!

Him and I

A hora do parabéns!

Mummy!

Cunhadas lindas

Família duplicada! =D

Brothers!

S2

Meus presentinhos hahaha (tem Nutella até 2020! #SQN)

A árvore com os cartõezinhos

sábado, 5 de novembro de 2016

Nossa primeira Árvore de Natal!

Sempre gostei do final do ano. Gosto desse clima natalino, das decorações das casas, das ruas e dos shoppings. As luzes, os enfeites, as cores. Enfim, para mim, é um dos melhores períodos, embora indique também que está findando mais um ano e estamos ficando mais velhos, rsrs. Mas, o que importa? Graças a Deus que tem nos permitido viver mais um ano, não é verdade?!

Estamos completando nosso primeiro ano de casados, e no nosso primeiro Natal não foi possível fazer o que fizemos desta vez: montar a nossa própria Árvore de Natal! Então, como amo registrar momentos especiais, estou registrando mais este. É uma árvore pequena, mas é a nossa árvore, que montamos juntos e foi tudo muito divertido (em breve postarei o vídeo no canal do youtube).

Antes de encerrar esse pequeno post, quero deixar claro que nada disso que citei anteriormente está acima do Verdadeiro sentido do Natal. Como diz o Rev. Hernandes Dias Lopes, precisamos devolver o Natal ao seu verdadeiro Dono! Apesar de todo brilho das luzes, beleza dos enfeites e troca de presentes, não podemos esquecer que o Natal é Jesus Cristo como verdadeiro Senhor da História, da Igreja e das nossas vidas! Sendo assim, não tem Natal sem Jesus, sem as Boas Novas da Salvação. 



quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Métodos infalíveis para criação de filhos!

No capítulo 2, JohnMcArthur inicia falando sobre a maior necessidade dos nossos filhos. Vocês já se questionaram sobre isso? Ainda não sou mãe, mas acho que esse é um questionamento de praxe dos pais.

O que pode acontecer quando não sabemos qual é a maior necessidade dos nossos filhos? Irmos em busca de "gurus" de criação de filhos, com programas detalhados e catálogos semelhante de regras para cada fase da vida até o casamento. Pois é. Agora, será mesmo que esse é o caminho correto? Muitos pais acabam ficando dependentes desses "métodos infalíveis para criação de filhos" a ponto de, muitas vezes, tornarem-se incapazes de pensar por si mesmos ou se sentirem medrosos em tomar decisões e atitudes diferentes do que aprenderam com os "métodos revolucionários". E isso é muito perigoso, porque a tarefa de educar, ensinar, moldar os filhos é dos pais! Se existe algo que deve influenciar e determinar a criação dos nossos filhos, é a Bíblia!

Sabe o que, infelizmente, tem sido uma armadilha para muitos pais cristãos? Não compreenderem a inclinação inata da criança para o mal! Ohhh!!! Uma criança??! É isso mesmo! Nossos filhos não vêm ao mundo buscando Deus e a justiça, eles nascem buscando a realização de seus desejos pecaminosos e egoístas. E não se perguntem de onde ou com quem seus filhos aprenderam isso, é uma disposição inerente.

É simples de entender, se nos despojarmos de qualquer orgulho sobre esse tema: Davi disse que sabia que era pecador desde que nasceu, desde que sua mãe o concebeu (Salmo 51:5). O salmista diz que os ímpios erram o caminho desde o ventre (Salmo 58:3). Em Romanos 3:10 lemos: "Não há nenhum justo, nem um sequer". Nossa natureza é pecaminosa. Não somos perfeitos até sermos arruinados por nossos pais, como alguns podem pensar.

Estranho encarar nossos "anjinhos" dessa forma né? Mas é como deve ser! E não sou eu nem o autor quem diz isso, é a Bíblia!

Agora, vamos deixar claro uma coisa: a inocência que nossos filhos têm quando vêm ao mundo diz respeito à ingenuidade e inexperiência, mas não é inocência com relação ao pecado. As atitudes e vontades de nossos pequenos são apenas reflexo do pecado que impulsiona seus coraçõezinhos. Se é muito difícil para alguns de vocês entenderem isso, pensem assim, como sugere o autor: meu filho(a) é uma versão minha em miniatura. Pronto.

Tudo o que é preciso para que nossos filhos deem livre expressão aos seus desejos é que eles tenham permissão e liberdade para tal. Sabe aquele estilo moderno de criar filhos, o estilo da "não-interferência"? Pois é, tolerância e passividade, afinal de contas, contenção e correção podem ser repressoras demais para a psiquê da criança. E assim, voltamos para o que foi falado no início: pais com medo de corrigirem seus filhos, porque os especialistas orientam a deixarem os filhos se expressarem livremente.

"A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela" (Provérbios 22:15).

Se os pais não tiverem compromisso em criar seus filhos na instrução e no conselho do Senhor, estes acabarão por dar plena expressão a sua depravação. O autor conclui esta parte dizendo que, em uma cultura como a nossa, é simplesmente perigoso um pai ou uma mãe permitirem que a própria natureza de um filho determine, no sentido moral e ético, o que ele vai ser tornar. Nesse cenário, só poderá haver um resultado: uma vida de pecado!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Se eu for uma mãe negligente...

Para quem ainda não sabe, estou compartilhando aqui uma leitura que estou fazendo do Livro Pais Sábios, Filhos Brilhantes (John MacArthur). No post anterior (Como vou criar meus filhos?!), falei que iria compartilhar os 4 princípios bíblicos que, geralmente, são negligenciados pelos pais e que deveriam estabelecer o fundamento para a perspectiva dos pais cristãos. Então vamos lá!

1º - Os filhos devem ser vistos como uma bênção, não como uma provação
A própria Bíblia afirma que os filhos são presentes benditos do Senhor! Então por que nós, algumas vezes, dizemos que eles são: provação, fardo/peso, empecilho, etc? Mesmo No mundo caído e infectado pela maldição do pecado, os filhos são símbolos da bondade amorosa de Deus!

2º - Criar filhos deve ser uma alegria, não um fardo
"A tarefa dos pais não é um jugo a ser carregado; é um privilégio a ser desfrutado". Sabe por que criar filhos pode parecer, de fato, um fardo? Porque alguns pais têm negligenciado princípios simples que Deus estabelece e, por isso, tomam sobre si um fardo que Deus nunca pretendeu que eles carregassem. É óbvio que existem momentos desagradáveis na criação de filhos, contudo, nada produzirá mais alegria e satisfação absoluta do que criar seus filhos na instrução e no conselho do Senhor!

3º - O sucesso na criação de filhos é medido pelo que os pais fazem, não pelo que o filho faz
A tendência é acharmos que o contrário do que foi dito acima é o correto. Mas será mesmo?? E quando fazemos tudo o que a Bíblia nos ensina como pais, mas nossos filhos crescem e abandonam a fé? Já pararam pra pensar nisso? O fato de criarmos nossos filhos no caminho do Senhor não é garantia de sua salvação, afinal de contas, nada que fizermos garantirá a redenção de nossos filhos. Se o que nossos filhos se tornassem fossem um medidor confiável do sucesso dos pais, não existiria garantia inviolável na Bíblia de que teremos sucesso absoluto nesses termos. Muito mais coisa o autor vem falando sobre isso, inclusive sobre Provérbios 22:6. Vale a pena ler! Aqui é só uma pincelada, rsrs.

4º - As influências mais importantes sobre o filho vêm dos pais, não dos amigos
"O próprio Deus entregou a responsabilidade pela criação dos filhos AOS PAIS (destaque meu), não aos professores, aos colegas, aos funcionários da creche ou a outras pessoas fora da família". Quando li isso percebi como é sério essa questão! Nós precisaremos educar nossos filhos e não transferir esta função para terceiros. Sabe aquela passagem de Deuteronômio 6:6-7 que diz que as palavras que o Senhor nos ordena devem estar em nossos corações e nós devemos ensinar aos nossos filhos quando estivermos sentados em casa, andando pelo caminho, ao deitar e ao levantar? Significa que criar filhos é uma missão em tempo integral! Nenhuma hora do dia está isenta! Essa responsabilidade de criarmos nossos filhos na instrução e conselho do Senhor foi dada a nós por Deus e prestaremos contas a ele por nossa negligência deste grande dom.

Bom, é isso que tinha para compartilhar e, à medida que escrevo, vou relembrando de tudo o que li e me convencendo ainda mais da grande responsabilidade que é criar filhos! Que o Senhor nos ajude a sermos pais sábios, de acordo com a Bíblia!

Até a próxima!


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Como vou criar meus filhos?!

Neste final de semana, compramos um livro que chamou muito a minha atenção. Na verdade, ele despertou meu interesse mais por causa do autor do que pelo título, propriamente dito (embora o título seja interessante também). Já aconteceu com vocês? É mais ou menos como um filme: você assiste a um filme de um ator que gosta muito, além de gostar, ele é muito bom e já ganhou vários oscars. Então, todos os filmes que estreiam com esse ator (ou atriz) você vai querer assistir, né?

Para os que conhecem John MacArthur, sabem muito bem do que estou falando. Ele é autor de mais de 150 livros, alguns deles com mais de 1 milhão de cópias. E "Pais Sábios, Filhos Brilhantes" trata-se de uma abordagem singular sobre educação de filhos, de uma maneira que honre a Cristo, em qualquer cultura e sob quaisquer circunstâncias.

Livros sobre essa temática nunca me encheram os olhos, pois, sem querer desmerecer tais trabalhos, penso que, muitos deles não passam de psicologia infantil recheada de terminologia "cristã". Não acredito em fórmulas e/ou métodos para educação de filhos. E, ao mesmo tempo, acredito sim! Creio que tais metodologias encontram-se na Bíblia e mais em nenhum outro lugar! E é justamente o que busca este livro: nos fazer retornar aos princípios bíblicos para a criação de filhos.

Como iniciei a leitura há dois dias, quero ir compartilhando aqui o que vou lendo e, quem sabe, auxiliar papais e mamães (ou futuros papais) a compreenderem que os únicos valores reais que podem salvar a família estão enraizados na Bíblia!

Não pretendo deixar os posts muito longos, então deixarei para o próximo os 4 princípios bíblicos que, geralmente, são negligenciados e que deveriam estabelecer o fundamento para a perspectiva dos pais cristãos.

"Deus colocou em nossas mãos a responsabilidade de criarmos nossos filhos na instrução o no conselho do Senhor, e prestaremos contas e Ele por nossa negligência deste grande dom!" (John MacArthur)

Até o próximo post!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Meu quarto da bagunça!

Quem não tem ou nunca teve um "quarto da bagunça" em casa? Esse cômodo é praticamente indispensável, rsrs.

No nosso caso, somos um casal, ainda não temos filhos e nosso apartamento tem dois quartos. Um, obviamente, é o nosso e o outro é o "quarto da bagunça". Menos mal, não é? Pois existem pessoas que fazem dos seus próprios quartos o quarto da bagunça!

Mas, será mesmo que o quarto da bagunça deve fazer jus ao nome que leva? Será que este cômodo da casa deve estar sempre "virado de cabeça pra baixo". Devemos ir jogando tudo lá dentro, a ponto de não conseguirmos sequer entrar nele?

Já havia falado aqui, em outro post a respeito da facilidade que existe das coisas dentro de casa irem desorganizando. Parecem que os objetos têm pés e se movimentam sozinhos! Mas não é não! Somos nós mesmos que tiramos do lugar e não colocamos de volta, usamos e não guardamos e por aí vai...

Como sempre serei a favor da organização (mesmo que algumas vezes minha casa esteja como as imagens abaixo, rsrsrs), eu defenderei que o quarto da bagunça deve estar sempre organizado! Então por que chamar "quarto da bagunça"? Alguns podem chamar assim talvez porque precisam guardar algumas "coisinhas" nele. Por exemplo, nós tínhamos uma geladeira extra e precisamos guardá-la nesse quarto até nos desfazermos. São coisas que nem sempre deixam o ambiente harmonioso, mas nós temos que dar um jeitinho para tentar manter a ordem! Que desafio! rsrs

O que não pode acontecer, na minha opinião, é começarmos a acumular coisas e mais coisas que não usamos só porque temos um "quarto da bagunça". Meu conselho é: evite ao máximo acumular coisas dentro de casa que você não mais utiliza há meses, desde utensílios até roupas. Ainda vou escrever algo sobre isso: viver com o necessário dentro de casa (não só dentro de casa, mas viver com o necessário na vida!). Existe um nome para esse estilo de vida, mas vou falar num próximo post.

Bom, vou parando por aqui e vou deixar algumas imagens de como nosso quarto da bagunça já chegou a ficar e como ele está ultimamente (ainda não está da forma que gostaria, mas está bem melhor do que antes, rsrsrs). Dizem que é mais fácil manter do que ter que colocar tudo em ordem depois de bagunçado. E isto é verdade!


Troquei a geladeira de posição, comprei uma sapateira.
Já ajudou um pouquinho né?



Agora os sapatos têm onde ficar e pude colocar o cesto de roupas sujas.
Também eliminei todas as caixas de papelão (ao fundo da imagem de cima)
e troquei por duas caixas organizadoras.

Uau! Que visual clean o "depois". =D


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Casamento de novo!

Há quem diga que quando o primeiro irmão ou irmã se casa "abre a porteira" para os demais, rsrs. Já ouviram falar nisso? Não sei se é verdade com todos, mas lá em casa esta máxima foi e está sendo cumprida ao pé da letra, hehehe.

Pois bem, vamos a um pequeno e breve histórico: meu irmão caçula foi o primeiro a se casar, em novembro de 2014. Um ano depois (novembro de 2015) eu estava subindo ao altar! Agora, 10 meses depois do meu casamento, o nosso irmão do meio está noivo! Uau!! Viram como esta frase está sendo real pra gente? hehehe

Cada um noivou de uma forma diferente, mas uma coisa foi comum em nossos noivados: o fator "Surpresa". Pois é, esses homens gostam de surpreender! =)

Todos se empenharam para fazer deste momento algo marcante na vida dos dois pombinhos e aqui, de forma pública, agradeço imensamente a Deus por ter apresentado uma pessoa tão especial para o meu irmão. Eles se parecem muito, eles são fofos juntos, eles combinam! Depois agradeço a minha cunhada, Amanda, que tão prontamente se dispôs a dar uma "mãozinha" que fez toda a diferença na decoração de muito bom gosto por sinal. A minha mãe que estava pra lá e pra cá com meu irmão, resolvendo as coisas que faltavam. Ao meu amado esposo que, no dia, estava conosco, cuidando dos últimos preparativos, fazendo a rota "casa-local do noivado, local do noivado-casa" por algumas vezes, rsrs (te amo!). Ao meu irmão Kalebe, cinegrafista profissional e fretista, rsrs. Enfim, a todos os presentes que não foram citados, mas contribuíram para que este momento fosse ainda mais especial!

Não vou mais escrever, apenas deixar algumas imagens deste lindo noivado surpresa, para que os familiares e amigos possam apreciar! We'll have marriage soon!!! hahaha


Iniciais... S2

Linda mesa (amei!)

Os noivos!


O Bolo!

Preparando para o pedido...

Irmãos e cunhados ^^





sexta-feira, 22 de julho de 2016

EBF 2016!

E esta foi mais uma EBF! 

Pra quem não sabe, EBF significa Escola Bíblica de Férias e ocorre todo mês de Julho (férias da criançada). Algumas igrejas fazem durante uma semana, outras em três dias. Foi muito divertido, trabalhar com crianças sempre é bom demais! 

Tenho em mente que nunca devemos negligenciar a comunicação das boas novas da salvação aos pequeninos. E graças a Deus por esses dias,  onde pudemos cantar e contar verdades bíblicas para eles. 

O tema deste ano foi: O Contador de Histórias. Eles aprenderam a pedir perdão e perdoar, a serem sábios (e construírem suas casas sobre a rocha), a serem generosos e dividir com o próximo e muitas outras lições. 

Eu e Sam ficamos responsáveis pela Oficina de Atividades, então as crianças sempre passavam por nós e faziam suas tarefas e depois seguiam para outros afazeres (artes, histórias, lanche e brincadeiras). Enfim,  dias muito intensos que me acarretaram uma baita crise de garganta,  rsrsrs (acontece!). 

Louvo a Deus por tudo e oro para que aquelas crianças cresçam com o que aprenderam em suas mentes e corações. 

Fiquem com as imagens. Abraço e até a próxima!


Tia Kalena e tio Markinhos, rsrs.

Cara, crachá. ^^
Tá na hora de fazer tarefinha!
Tema da EBF: "O contador de Histórias"

Mais uma EBF de Sarah!

Turminha M (7-8 anos)

Turminha G (9-10 anos)

Último dia
Recebendo a sacolinha com as atividades






Teve algodão doce!!!
Decoração
Esperando papai e mamãe, assistindo Smilinguido ^^




Soldadinhos de Jesus

Princesinhas de Jesus

Turma boa!




segunda-feira, 18 de julho de 2016

Organizando lençóis e toalhas - vida de casada

Olá, pessoal.

Aqui estou de novo, desta vez para falar sobre desorganização. Isso mesmo, não errei a palavra! rsrsrs
Vocês já perceberam como é incrível como as coisas dentro de casa têm uma "capacidade" incrível de se desorganizarem?! Nós arrumamos, mas se deixarmos de lado, aquilo vira uma zorra com o decorrer dos dias. Parece até as coisas tem pés e andam sozinhas dentro de casa, hehehe.

Aconteceu comigo na semana passada. Tem uma parte do guarda-roupas onde guardo lençóis e toalhas. Mas, no dia-a-dia, acabamos não percebendo que, vez por outra, precisamos reorganizar alguns ambientes e quando nos damos conta, êpa, que bagunça! Lençóis misturados, toalhas mal dobradas, uma zorra!

Não sei vocês, mas eu gosto de ver as coisas organizadas por fora e por dentro (no caso de armários, guarda-roupas, gavetas). Gosto de olhar para a cômoda e saber que todas as roupas estão dobradinhas e organizadas lá dentro. É claro que às vezes pode acontecer de darmos aquela ajeitada por cima (a boa e velha tapiada), mas bom mesmo é quando mantemos o ambiente organizado, sempre consertando o que foi desfeito, sem precisar esperar tanto tempo pra isso, pois pode ser que depois de muito tempo, o nosso trabalhinho se transforme em um trabalhão.

A dica que dou é: inclua a organização de alguma parte da sua casa na sua agenda de atividades domésticas da semana. Por exemplo: na segunda é dia de passar roupa (além das atividades diárias de praxe como lavar louça, arrumar a cama, etc), então eu aproveito para incluir a limpeza/organização das gavetas da cômoda. Gente, é incrível, vocês perceberão que tem muita roupa pra organizar, doar, consertar, etc. Outro exemplo: na quinta, normalmente, eu faço compras, então posso colocar na minha agenda de quarta-feira uma organização da minha despensa. Assim já aproveito para ver o que está faltando e como posso organizá-la para receber as compras que virão no dia seguinte. No lugar da despensa pode ser a geladeira e assim por diante.

Lembrando que basta uma coisinha de cada vez. Nosso tempo já parece ser tão resumido: trabalho, filhos, família, etc. Então, por menor que seja a atividade de organização da semana, ela fará muita diferença sim! Basta conferir nas fotos abaixo.

Espero que tenham gostado e até a próxima!

Três lençóis e algumas toalhas que parecem um ninho! rsrsrs

Agora sim, dá pra ver que são três lençóis e algumas toalhas. ^^




segunda-feira, 11 de julho de 2016

Organizando área de serviço - vida de casada

Olá pessoal. Aqui estou eu para mais um post da série "Vida de casada".
Hoje vou falar um pouco sobre minha área de serviço. 

Gosto do espaço dela, apesar de ser pequenininha (porque o apartamento também é pequeno), mas é um cantinho reservado e que acho que ficou super legal. Conseguimos comprar uma máquina de lavar que encaixou certinho do lado do tanque que tem na área e ficaram lado a lado, o que poupou bastante espaço. 

Um pouco acima da máquina tem uma prateleira branca onde guardo todos os produtos de limpeza que uso. E por falar produtos de limpeza que uso, costumo fazer alguns produtos em casa mesmo, são os meus produtos de limpeza caseiros: um limpador multiuso e um desinfetante. Ahh, tem o desengordurante também, mas ainda não fiz. Realmente esses produtos funcionam no dia a dia e o melhor de tudo: não precisamos gastar horrores com produtos de limpeza nas nossas compras! Se houver interesse e pedidos, posso, em outro post, ensinar a vocês como fazer esses produtinhos caseiros de limpeza.

Antes, os produtos ficavam todos soltos em cima da prateleira, o que dificultava um pouco quando eu queria limpar tudo, pois tinha que retirar um por um e passar o pano. Foi então, quando resolvi agrupar os produtos em caixas organizadoras transparentes. Comprei três delas e achei que o resultado ficou muito bom. Só os recipientes maiores, como água sanitária, desinfetante e amaciante, que deixei soltos.

Ahh, tem outra coisinha: abaixo tem uma foto de como faço com as palhas de aço que compro. Normalmente, quando vamos usar não usamos uma inteira e acabamos dividindo ao meio, não é mesmo? Mas quando puxamos para pegar uma parte fica aquele negócio horroroso né, puxado, difícil de dividir. Então, aprendi que se cortamos (com uma tesoura) todas ao meio e devolvermos ao mesmo saquinho, teremos algo bem mais fácil e muito mais prático. 

Comentem o que acharam, vou gostar de saber a opinião de vocês! No próximo post sobre organização, mostrarei a parte de toalhas e lençóis do meu guarda-roupas que ficou incrível! Abraços!


A máquina ao lado da lavanderia. Encaixou direitinho. ^^

Meus produtos de limpeza.

Caixinha organizadora facilitando minha vida! rsrs

Fácil para retirar e limpar.

Palha de aço cortada e organizada dentro do próprio saquinho dela.
Aqui só restaram duas, mas depois que corto todas, o saquinho fica bem cheio.

Produtinhos caseiros de limpeza. =D