quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Métodos infalíveis para criação de filhos!

No capítulo 2, JohnMcArthur inicia falando sobre a maior necessidade dos nossos filhos. Vocês já se questionaram sobre isso? Ainda não sou mãe, mas acho que esse é um questionamento de praxe dos pais.

O que pode acontecer quando não sabemos qual é a maior necessidade dos nossos filhos? Irmos em busca de "gurus" de criação de filhos, com programas detalhados e catálogos semelhante de regras para cada fase da vida até o casamento. Pois é. Agora, será mesmo que esse é o caminho correto? Muitos pais acabam ficando dependentes desses "métodos infalíveis para criação de filhos" a ponto de, muitas vezes, tornarem-se incapazes de pensar por si mesmos ou se sentirem medrosos em tomar decisões e atitudes diferentes do que aprenderam com os "métodos revolucionários". E isso é muito perigoso, porque a tarefa de educar, ensinar, moldar os filhos é dos pais! Se existe algo que deve influenciar e determinar a criação dos nossos filhos, é a Bíblia!

Sabe o que, infelizmente, tem sido uma armadilha para muitos pais cristãos? Não compreenderem a inclinação inata da criança para o mal! Ohhh!!! Uma criança??! É isso mesmo! Nossos filhos não vêm ao mundo buscando Deus e a justiça, eles nascem buscando a realização de seus desejos pecaminosos e egoístas. E não se perguntem de onde ou com quem seus filhos aprenderam isso, é uma disposição inerente.

É simples de entender, se nos despojarmos de qualquer orgulho sobre esse tema: Davi disse que sabia que era pecador desde que nasceu, desde que sua mãe o concebeu (Salmo 51:5). O salmista diz que os ímpios erram o caminho desde o ventre (Salmo 58:3). Em Romanos 3:10 lemos: "Não há nenhum justo, nem um sequer". Nossa natureza é pecaminosa. Não somos perfeitos até sermos arruinados por nossos pais, como alguns podem pensar.

Estranho encarar nossos "anjinhos" dessa forma né? Mas é como deve ser! E não sou eu nem o autor quem diz isso, é a Bíblia!

Agora, vamos deixar claro uma coisa: a inocência que nossos filhos têm quando vêm ao mundo diz respeito à ingenuidade e inexperiência, mas não é inocência com relação ao pecado. As atitudes e vontades de nossos pequenos são apenas reflexo do pecado que impulsiona seus coraçõezinhos. Se é muito difícil para alguns de vocês entenderem isso, pensem assim, como sugere o autor: meu filho(a) é uma versão minha em miniatura. Pronto.

Tudo o que é preciso para que nossos filhos deem livre expressão aos seus desejos é que eles tenham permissão e liberdade para tal. Sabe aquele estilo moderno de criar filhos, o estilo da "não-interferência"? Pois é, tolerância e passividade, afinal de contas, contenção e correção podem ser repressoras demais para a psiquê da criança. E assim, voltamos para o que foi falado no início: pais com medo de corrigirem seus filhos, porque os especialistas orientam a deixarem os filhos se expressarem livremente.

"A insensatez está ligada ao coração da criança, mas a vara da disciplina a livrará dela" (Provérbios 22:15).

Se os pais não tiverem compromisso em criar seus filhos na instrução e no conselho do Senhor, estes acabarão por dar plena expressão a sua depravação. O autor conclui esta parte dizendo que, em uma cultura como a nossa, é simplesmente perigoso um pai ou uma mãe permitirem que a própria natureza de um filho determine, no sentido moral e ético, o que ele vai ser tornar. Nesse cenário, só poderá haver um resultado: uma vida de pecado!

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Se eu for uma mãe negligente...

Para quem ainda não sabe, estou compartilhando aqui uma leitura que estou fazendo do Livro Pais Sábios, Filhos Brilhantes (John MacArthur). No post anterior (Como vou criar meus filhos?!), falei que iria compartilhar os 4 princípios bíblicos que, geralmente, são negligenciados pelos pais e que deveriam estabelecer o fundamento para a perspectiva dos pais cristãos. Então vamos lá!

1º - Os filhos devem ser vistos como uma bênção, não como uma provação
A própria Bíblia afirma que os filhos são presentes benditos do Senhor! Então por que nós, algumas vezes, dizemos que eles são: provação, fardo/peso, empecilho, etc? Mesmo No mundo caído e infectado pela maldição do pecado, os filhos são símbolos da bondade amorosa de Deus!

2º - Criar filhos deve ser uma alegria, não um fardo
"A tarefa dos pais não é um jugo a ser carregado; é um privilégio a ser desfrutado". Sabe por que criar filhos pode parecer, de fato, um fardo? Porque alguns pais têm negligenciado princípios simples que Deus estabelece e, por isso, tomam sobre si um fardo que Deus nunca pretendeu que eles carregassem. É óbvio que existem momentos desagradáveis na criação de filhos, contudo, nada produzirá mais alegria e satisfação absoluta do que criar seus filhos na instrução e no conselho do Senhor!

3º - O sucesso na criação de filhos é medido pelo que os pais fazem, não pelo que o filho faz
A tendência é acharmos que o contrário do que foi dito acima é o correto. Mas será mesmo?? E quando fazemos tudo o que a Bíblia nos ensina como pais, mas nossos filhos crescem e abandonam a fé? Já pararam pra pensar nisso? O fato de criarmos nossos filhos no caminho do Senhor não é garantia de sua salvação, afinal de contas, nada que fizermos garantirá a redenção de nossos filhos. Se o que nossos filhos se tornassem fossem um medidor confiável do sucesso dos pais, não existiria garantia inviolável na Bíblia de que teremos sucesso absoluto nesses termos. Muito mais coisa o autor vem falando sobre isso, inclusive sobre Provérbios 22:6. Vale a pena ler! Aqui é só uma pincelada, rsrs.

4º - As influências mais importantes sobre o filho vêm dos pais, não dos amigos
"O próprio Deus entregou a responsabilidade pela criação dos filhos AOS PAIS (destaque meu), não aos professores, aos colegas, aos funcionários da creche ou a outras pessoas fora da família". Quando li isso percebi como é sério essa questão! Nós precisaremos educar nossos filhos e não transferir esta função para terceiros. Sabe aquela passagem de Deuteronômio 6:6-7 que diz que as palavras que o Senhor nos ordena devem estar em nossos corações e nós devemos ensinar aos nossos filhos quando estivermos sentados em casa, andando pelo caminho, ao deitar e ao levantar? Significa que criar filhos é uma missão em tempo integral! Nenhuma hora do dia está isenta! Essa responsabilidade de criarmos nossos filhos na instrução e conselho do Senhor foi dada a nós por Deus e prestaremos contas a ele por nossa negligência deste grande dom.

Bom, é isso que tinha para compartilhar e, à medida que escrevo, vou relembrando de tudo o que li e me convencendo ainda mais da grande responsabilidade que é criar filhos! Que o Senhor nos ajude a sermos pais sábios, de acordo com a Bíblia!

Até a próxima!


segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Como vou criar meus filhos?!

Neste final de semana, compramos um livro que chamou muito a minha atenção. Na verdade, ele despertou meu interesse mais por causa do autor do que pelo título, propriamente dito (embora o título seja interessante também). Já aconteceu com vocês? É mais ou menos como um filme: você assiste a um filme de um ator que gosta muito, além de gostar, ele é muito bom e já ganhou vários oscars. Então, todos os filmes que estreiam com esse ator (ou atriz) você vai querer assistir, né?

Para os que conhecem John MacArthur, sabem muito bem do que estou falando. Ele é autor de mais de 150 livros, alguns deles com mais de 1 milhão de cópias. E "Pais Sábios, Filhos Brilhantes" trata-se de uma abordagem singular sobre educação de filhos, de uma maneira que honre a Cristo, em qualquer cultura e sob quaisquer circunstâncias.

Livros sobre essa temática nunca me encheram os olhos, pois, sem querer desmerecer tais trabalhos, penso que, muitos deles não passam de psicologia infantil recheada de terminologia "cristã". Não acredito em fórmulas e/ou métodos para educação de filhos. E, ao mesmo tempo, acredito sim! Creio que tais metodologias encontram-se na Bíblia e mais em nenhum outro lugar! E é justamente o que busca este livro: nos fazer retornar aos princípios bíblicos para a criação de filhos.

Como iniciei a leitura há dois dias, quero ir compartilhando aqui o que vou lendo e, quem sabe, auxiliar papais e mamães (ou futuros papais) a compreenderem que os únicos valores reais que podem salvar a família estão enraizados na Bíblia!

Não pretendo deixar os posts muito longos, então deixarei para o próximo os 4 princípios bíblicos que, geralmente, são negligenciados e que deveriam estabelecer o fundamento para a perspectiva dos pais cristãos.

"Deus colocou em nossas mãos a responsabilidade de criarmos nossos filhos na instrução o no conselho do Senhor, e prestaremos contas e Ele por nossa negligência deste grande dom!" (John MacArthur)

Até o próximo post!